Assuntos de Goiás TV

segunda-feira, 10 de março de 2014

Sem credibilidade por não cumprir compromissos de campanha partidos e políticos deixam eleitor sem opção em Goiás



     O Governo esta deixando a desejar, prometeu bem mais do que tem capacidade de realizar, enquanto a imprensa fala que apenas 12% dos compromissos de campanha foram cumpridos pelo Governo Marconi Perilo e que talvez outros 48% deixem de ser apenas maquetes, a população sente que a inoperância do estado em várias áreas fez com que até o que funcionava bem antes, deixou ou esta deixando de funcionar a contento, afim de atender o cidadão, a segurança pública é o caso mais flagrante de como a vida da população piorou durante aquele que prometia ser o 'melhor governo da vida dos goianos'.



            As promessas feitas e não cumpridas são parte das muitas decepções que o povo de Goiás vem tendo no campo político nos últimos anos e não só com o atual governo, o Governador pode pleitear uma reeleição, é legítimo e um direito seu, e vai que seu crédito com o eleitor esteja em dia no dia do pleito, ele até pode conquistar o seu quarto mandato, o que convenhamos será dificílimo pelo cenário atual, mas os compromissos assumidos por ocasião da campanha de 2010 precisariam não só de mais quatro anos, e sim de pelo menos mais 16 anos para sair do papel, por que são muito complexas e extensas, por que as contemplações atingiriam várias áreas de atuação do estado, que nos palanques quatro anos atrás foi suficiente para convencer o povo de que era sim possível realizar, bastava apenas ter um pouco de agilidade e vontade política.

            O Governo anterior de Alcides Rodrigues levou a má fama de ser devagar demais por não ter conseguido realizar obras de infraestrutura e de ter levado a CELG a bancarrota, muita gente via naquela ocasião em Marconi Perilo um gestor bem diferente do seu antigo vice e hoje um desafeto, os dois governos anteriores do Tucano embasavam esta credibilidade junto a população, era a imagem de um
governante audacioso e eficiente. Alcides Rodrigues e Jorcelino Braga estão neste momento ao lado de Vanderlan Cardoso e ambos rechaçam a ideia de que o grupo de apoiadores do ex-prefeito de Senador Canedo, venha a abandonar seus projetos próprios para apoiar outro nome na corrida ao Palácio das Esmeraldas.

            Os direitos constitucionais básicos do cidadão não são respeitados pela classe política, e não acontece isso apenas em Goiás não, o país esta mais violento, as escolas caindo aos pedaços, apesar da democratização do ensino superior, e a saúde ainda continua na UTI, mas vem ai mais uma campanha eleitoral, onde os políticos sem noção vão refazer seu itinerário, cumprimentando as pessoas,
beijando as criancinhas, e claro, prometendo tudo de novo, com o viés de que desta vez as coisas serão bem diferentes do que foi outrora.

            Quando digo que os créditos do atual governo podem ser renovados com a população, é por que podem, as eleições já estão chegando e por aqui a oposição não se entende sobre qual caminho vão seguir, nem sabem com quem vão seguir e o pior nem que rumo devem seguir, um verdadeiro balaio de gatos, onde todos tinham um adversário em comum, pois estão colocados do mesmo lado da trincheira eleitoral. Para o espanto de muitos o chamado fogo amigo tem ferido de morte alguns dos líderes oposicionistas, que mesmo sabendo que estão diante de um articulador habilidoso, exímio orador e que tem a máquina do estado trabalhando a seu favor, não se emendam na hora de desconstruir a imagem de um parceiro seu, mas que pode ser um empecilho na hora de definir quem comandará o estado nos próximos quatro anos.

            A esperança de que o simples fato do Governo de Goiás estar em baixa com a sociedade, por não ter cumprido seus compromissos de campanha, vão leva los a ocupar o posto de Governador de uma maneira mais fácil, fez com que a própria oposição se fragmentasse , pois todos se acham no direito de serem apoiados e não de apoiar outro nome com chances reais de vitória em cinco de Outubro. As chances de vitória são imensas mesmo, mas a vaidade de alguns pode impedir que isso se materialize, já que nenhum grupo quer ceder espaço para outro, mesmo que isso custe a perda da eleição.

            A aliança do PMDB com o PT é um imbróglio que foge da compreensão de qualquer um, o próprio PMDB sozinho já é sinônimo de confusão para a mente dos entendidos em política, imagina o trevo que não provoca na cabeça de um leigo. Petistas dizem não ter feito acordos com o partido de Iris e sim com o próprio Iris, se o líder da legenda não foi alçado a condição de candidato, o PT entende que não tem obrigação de apoiar o PMDB, já que o seu compromisso é com Iris Rezende.

            Iris Rezende que nunca disse que seria ou não candidato, e mesmo assim já viu jovens promissores do partido baterem asas rumo a base marconista, justamente por que acreditam que o Irismo não vai abrir espaços para que outros lideres possam tomar decisões e assumir as responsabilidades que sempre passaram por Iris Rezende. Francisco Júnior e Thiago Peixoto trocaram a condição de estrelas em ascendência dentro do PMDB para ser apenas mais dois nomes a disposição do PSD a serviço de Marconi Perilo, Júnior do Friboi só consegue se manter vivo nas fileiras do partido, desafiando o carisma de Iris e se auto proclamando candidato por que tem a “bala”.

            O vil metal que dispõe José Batista Júnior faz com que lideranças de vários partidos, não só do PMDB, mantenham a esperança de que ele tenha seu nome viabilizado e homologado como candidato na convenção que acontece em Junho. Cristão novo na política e no partido, Friboi pode não ser visto como o homem que vai destronar o “Rei”, mas é de longe o preferido de nove entre dez integrantes da oposição que enxergam nele um caixa forte, que se não ganhar a eleição será pela falta de experiência e carisma, mas que possui pelo menos um elemento fundamental para pleitear uma candidatura. O dinheiro.

            Pela alta rejeição do Governador, muita gente viu ai a chance de conquistar a vitória, se tornando o inquilino da Casa Verde, e também enxergou no momento a oportunidade ímpar de encabeçar a chapa majoritária, com ou sem Iris o PMDB vai ter candidato, talvez sem a participação do PT, que cresceu os olhos sobre a possibilidade real de vitória, se rebelou contra a condição de apêndice e mesmo que a conquista não aconteça, o lançamento de uma candidatura própria atenderia os anseios de seus líderes que vislumbram ai a possibilidade de atingir objetivos pessoais ou apenas da sigla. Se levar adiante a candidatura de Gomide, o que parece irreversível e já é dada como certa, o PT pode conseguir eleger pelo menos dois Deputados Federais e quem sabe aumentar sua participação
na Assembleia Legislativa, que hoje conta com três Deputados estaduais.

            Isso se as coisas saírem da forma como estão imaginando, se algo sair fora do prumo o tiro pode sair pela culatra e provocar estragos irreparáveis na legenda, sim além de romper um acordo com o PMDB, o PT pode estar colocando em jogo a reeleição da Presidenta Dilma Rousseff e o dependendo do número de votos alcançados pode não fazer dois Deputados Federais e ainda ter a sua participação na assembleia diminuída ao invés de aumentada. As cartas vão sendo colocadas na mesa e os jogadores vão tomando suas posições, ninguém ganha uma eleição de véspera, mas não perde também, em Goiás hoje não existe um nome absoluto, um favorito incontestável e muito menos alguém que conte com a
confiança total do eleitor, que esta com o pé atrás com a classe política e a cada lance dos nossos representantes em cargos eletivos, o povo passa a acreditar cada vez menos.

            Antônio Gomide é vendido pelo PT como o 'novo' com competência comprovada pela boa gestão em Anápolis, não temos como entrar no mérito da questão já que há muitos anos que nem passo em Anápolis e não conheço o trabalho de Gomide, mas temos que ser práticos em apontar por que isso não tem como dar certo. Gomide é do PT e Paulo Garcia, o Prefeito de Goiânia, também é, muitos militantes do partido dos trabalhadores no seu trabalho de convencimento dizem que a competência deum não tem nada a ver com a incompetência do outro, subestimam a inteligência do eleitor ao tentar desvincular a má gestão de Paulo Garcia do PT, frisando apenas o bom trabalho realizado em Anápolis como sendo obra e graça do Partido dos Trabalhadores.

            Não é preciso ir longe para mostrar a população a total ligação do competente gestor com as tragédias que vem ocorrendo na capital do estado, para isso é só observar quem eram os apoiadores que conduziram Paulo Garcia a Prefeitura de Goiânia e agora parecem querer evitar a ligação com ele, e quem são os que bajulam o Prefeito de Anápolis e vende a ideia de que tudo será completamente diferente. Hum ano e pouco se passou desde a última eleição, o PT que alcançou a vitória na capital pregou o nicho da sustentabilidade e hoje nem recolhe o lixo das ruas regularmente.

            A sustentabilidade de outrora pode não ter sido bem esclarecida, pois hoje cada um precisa dar fim ao seu lixo, já que a prefeitura não faz o papel dela, as ruas estão ficando sem iluminação, por que a prefeitura não faz a reposição, com isso as pessoas estão tendo que reaprender a andar no escuro, a ameaça de uma epidemia de dengue é para lá de real, já que com tanto lixo por ai, o mosquito deve tá adorando essa sustentabilidade. As falácias por que passa Goiânia são desalentadoras para o cidadão de bem, que acreditou nas promessas de Paulo Garcia e que foram endossadas pelos membros do PT, os mesmos membros que hoje querem convencer a população que o candidato e o projeto do partido são os melhores para Goiás... Vai vendo no que isso vai dar.

            O problema a ser discutido não é a competência de A ou B e sim quem são os chupins que o acompanham, ajudam a prometer e depois a população é que se vire com o ônus de uma péssima escolha, serão longos quatro anos para pensar na besteira que pode ser evitada se prestar atenção em detalhes simples e fáceis de lidar. Ora os goianienses caíram nesta latada por que não leram a bula, o grupo que chegou ao poder é o mesmo que apoiava Pedro Wilson, até então o pior Prefeito da história de Goiânia, devidamente superado pelo seu colega, Paulo Garcia, que esta conseguindo se sobressair e já supera de longe a inércia de Pedro.

Ao lado dos dois piores Prefeitos da história da capital estavam, Rubens Otoni, Kátia Maria, Marina, Mauro Rubem, Luís César Bueno, Osmar Magalhães, Humberto Aidar entre outros. Ao lado de Antônio Gomide estão os mesmos, vendo a ideia de que este é competente e que tudo será diferente... Isso não tem como ter um final feliz, simplesmente por que os personagens são os mesmos, com a mesma filosofia de trabalho e que é executada pelas mesmas figurinhas... Vai vendo no que isso vai dar!

            No apagar das luzes das definições pode ser que surja um nome que respalde os anseios da sociedade e que venha suprir a falta que um líder austero tem feito na vida de quem mora aqui, não adianta estar bem na foto da propaganda se ao andar pelas ruas você corre os riscos diante de tanta violência, não tem nada haver você saber que tem o direito de ir e vir, mas que os gestores públicos não oferecem um transporte de qualidade, acreditar em promessas como as que outro dia contemplavam sustentabilidade ou em milagres de uma mudança repentina, vai de cada um, mas não temos como fugir disso, apenas é necessário observar quais foram as promessas de ontem, se foram de fato cumpridas, e o principal quem foi que fez.

            Em suma, o eleitor goiano neste momento não tem um candidato à altura de suas necessidades e não tem diante de si nenhum que atenda os seus anseios, que de fato represente mudança e traga um alento para uma população que tem sofrido horrores com a ineficiência da máquina publica e a incompetência dos nossos gestores e seus apoiadores.

Bancada do PMDB da Câmara desiste de ministérios - TV iG

Seguidores